Empreender na Militância para um Mundo Melhor

Mar 26, 2018

O mundo precisa de todos. Sem o empenho e a dedicação de todos na construção dum mundo melhor não haverá futuro para a Humanidade.

Há muitas formas de Servir. Há quem o faça através da política e há quem use a Educação, a Cultura e as Artes.

Há, ainda, quem, através da Religião dedique toda a Sua ao Outro, no âmbito das respetivas Confissões Religiosas.

Mas, em todas estas manifestações de gratidão e de Serviço perante o Outro, há uma caraterística que sobressaem em todas estas Pessoas que servem: São Militantes duma Causa.

A militância reveste diferentes formas e assume contornos muito distintos de acordo com a Causa que defendemos e que decidimos Servir.

É importante que desde cedo as aprendizagens sejam planeadas e organizadas de forma a que as crianças, adquiram as competências adequadas para saberem que todos somos relevantes e necessários à construção dum mundo melhor.

Aos professores, transmissores da palavra e do saber, cabe-lhes fazer despertar nos seus estudantes o interesse pela participação na edificação do Bem Comum.

Empreender a Ser Militante implica definir prioridades, focalizar a atenção naquilo que despertar maior gosto e onde saibamos que a ação fruto da militância irá ter maior impacto na Sociedade em geral e na vida dos que nos rodeiam em particular.

A massificação dos Direitos Humanos tem que ser uma realidade, pois temos assistido à sua violação de forma gratuita e arbitrária em vários pontos do Globo.

Empreender a Ser Militante da Causa dos Direitos Humanos poderá ser a solução para parte dos problemas da Humanidade.

Se conseguirmos que todas as crianças que frequentam a Escola se mobilizem e assumam como sua a Causa dos Direitos Humanos teremos alcançado uma vitória significativa ao potenciar as capacidades empreendedoras dos nossos estudantes neste domínio.

Empreender a Ser Militante da Causa dos Direitos Humanos merece certamente o Nosso aplauso generalizado e compreende uma utilidade dificilmente mensurável em termos económico financeiros.

Continue a ler

Partilhar