Projecto Empreendedor na Guiné-Bissau

Nov 15, 2006

No dia 17 de Novembro de 2003, dia da inauguração da Universidade Amílcar Cabral, a Direcção de Relações Internacionais, Estágios e Empreendedorismo (DRIE), lançou o Projecto Empreendedor na Universidade Lusófona em Lisboa, e incorporou o Empreendedorismo na Missão do Grupo Lusófona – promover o desenvolvimento económico, social e cultural dos povos de Língua Portuguesa.

Dada a importância da Universidade Amílcar Cabral no nosso Projecto Educativo a presença do Presidente do Grupo Lusófona, o Senhor Prof. Dr. Manuel de Almeida Damásio na inauguração da Universidade Amílcar Cabral, na Guiné-Bissau foi uma oportunidade histórica para o Grupo Lusófona.

Enquanto o Senhor Prof. Dr. Manuel de Almeida Damásio discursava na inauguração da Universidade Amílcar Cabral, na Guiné-Bissau, simultaneamente, com recurso às novas tecnologias proferiu o discurso de lançamento do Projecto Empreendedor, da Universidade Lusófona, em Lisboa, em que mencionou a sua visão sobre Empreendedorismo, e passo a citar “A abertura Solene da Universidade Amílcar Cabral, na Guiné-Bissau, foi marcada para o mesmo dia em que na Universidade Lusófona tem lugar a acção deveras importante, que é a apresentação pública do Projecto Empreendedor…”,  “…Sabemos que os nossos alunos são pessoas motivadas e, pretendemos oferecer mais do que a formação. Queremos que sejam pessoas com capacidade de Gestão e de trabalho em equipa, informadas, atentas e conhecedores do mercado. Em resumo que sejam Empresários de Sucesso…”.

O Projecto Educativo do Grupo Lusófona, desde a sua origem está fundado no Princípio da Igualdade, na igualdade de oportunidades, no ensinamento de regras de convivência, no estímulo à competitividade através do ensino e da formação que ministra.

Estes pressupostos são aplicados em todas as Instituições do Grupo Lusófona, ou seja:

  • ULHT – Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias
    Lisboa, Portugal
  • ULP – Universidade Lusófona do Porto
    Porto, Portugal
  • ERISA – Escola Superior de Saúde Ribeiros Sanches
    Lisboa, Portugal
  • ISCAD – Instituto Superior de Ciências da Administração
    Lisboa, Portugal
  • ESEAG – Escola Superior de Educação Almeida Garrett
    Lisboa, Portugal
  • ISMAT – Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes
    Portimão, Portugal
  • ISPO – Instituto Superior Politécnico do Oeste
    Torres Vedras, Portugal
  • ISDOM – Instituto Superior Dom Dinis
    Marinha Grande, Portugal
  •  RCP – Real Colégio de Portugal
    Lisboa, Portugal
  • EPA – Escola Pré-Universitária
    Lisboa, Portugal
  • FIDES – Cooperativa de Formação, Desenvolvimento e Solidariedade, Crl
    Lisboa, Portugal
  • Escola Profissional de Artes, Tecnologias e Desporto
    Lisboa, Portugal
  • ULEGE – Escola de Altos Estudos de Gestão
    Lisboa, Portugal
  • Escola de Altos Estudos do Turismo de Óbidos
    Óbidos, Portugal
  • Faculdade Mário Shenberg
    São Paulo, Brasil
  • Faculdade Paraíso
    Rio de Janeiro, Brasil
  • Colégio Paraíso
    Rio de Janeiro – Brasil
  • Universidade Amílcar Cabral
    Bissau, Guiné-Bissau
  • Universidade Lusófona de Cabo Verde
    Mindelo, Cabo Verde
  • Universidade Lusófona de Angola
    Luanda, Angola
  • ISPU – Instituto Superior Politécnico e Universitário
    Maputo Quelimane, Moçambique

Desde a nossa criação, temos como objectivo central:Valorizar o fruto do nosso trabalho – os nossos alunos e antigos alunos, o Capital Humano.

Fazemos uma aposta constante na integração na vida activa dos novos alunos e antigos alunos e na ligação ao mundo empresarial. Consequentemente, actualmente, temos o reconhecimento de cerca de mil e quinhentas empresas em Portugal e no estrangeiro que trabalham directamente com o nosso Grupo através de milhares de propostas de emprego anuais.

Mas isso não basta e, em 2003, criámos um projecto pioneiro, em Portugal, na área do Empreendedorismo Universitário, o Projecto Empreendedor. Para além da investigação aplicada que apoiamos, passámos a incentivar a criação de empresas entre os nossos alunos e antigos alunos, inclusive entre os professores.

No Projecto Empreendedor, identificamos pessoas e projectos com potencial de gerar mais valias. Depois, oferecemos tutoria à criação de empresas e desenvolvemos projectos a concretizar em empresas.

Em 3 (três) anos, criámos o único Centro de Empresas Universitárias em Lisboa, um espaço exclusivamente destinado ao apoio das novas empresas.  Agora, pretendemos fazer o mesmo na Guiné-Bissau.

Formalizámos parcerias com Instituições Públicas e Privadas ligadas à promoção do Empreendedorismo, com interesse em bons negócios, de modo a permitir financiamento às empresas sobre a forma de operações de Capital Risco “Full Risk” e de empréstimos em condições especiais – de promoção aos Negócios. Um pressuposto sempre baseado na criação de empresários socialmente responsáveis.

Estamos a colaborar na formação de alunos empreendedores/empresários –  com necessidade de adquirirem competências nas seguintes áreas: condições do mercado, no planeamento de Estratégias e Marketing, no Estudo da Microgestão, no Enquadramento Jurídico-Fiscal da empresa, na Propriedade Industrial e nas Formalidades Técnico-jurídicas da constituição de uma empresa e, muito em especial, na capacidade de vender as suas ideias. Colaboramos em todo o processo de crescimento dos empreendedores. De natureza, pessoal, académico e profissional.

Na UAC o percurso será idêntico, apesar da diversidade de mercados e do perfil diferenciado de empreendedores.

A nossa estratégia de empreendedorismo, passa por desenvolver ideias inovadoras, produtos ou serviços, na sua forma ou utilidade e dotar o nosso empreendedor das ferramentas necessárias para impôr o seu negócio no mercado.

Ao abrigo do Projecto Empreendedor colaborámos na criação de 9 (nove) empresas,  cerca de 30 (trinta) empresários de sucesso, empresas “Made in Lusófona” – Clickdoc, Accessible Portugal, Tetraqual, Diverge, Lusogene, Nanomedical, Mastershot, Segali e Imago Aid. Apoiamos ainda projectos empresariais a desenvolverem-se como futuras empresas, tais como a revista FEST e o Produto Heat-It – um artigo de sobrevivência, patenteado internacionalmente.

A UAC é, actualmente, um exemplo de sucesso na estratégia de parcerias que o Grupo Lusófona vem estabelecendo com os países Lusófonos. Ambos, Grupo Lusófona e Governo da República Guiné-Bissau partilham dos mesmos objectivos, a promoção do Ensino e o desenvolvimento social e económico dos povos Lusófonos.

A qualificação do Capital Humano como factor essencial no futuro dos países.

Tal como em Portugal, o nosso Projecto Educativo está em permanente evolução. Chegou o momento da UAC assumir novos compromissos para com a Guiné-Bissau, para com os seus alunos e professores – o desenvolvimento do empreendedorismo na estratégia de ensino.

A Universidade Amílcar Cabral integrou-se no Projecto Empreendedor, em Novembro ao assegurar a presença institucional – através do Administrador -, e política – através do Senhor Ministro da Economia – , na Sessão de Conferências “Semana de Negócios em África”. Durante esta semana contámos com representantes de Angola, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

No decorrer da Semana, estabelecemos o diálogo entre os nossos alunos e os promotores de negócios dos países de origem para a promoção e a criação de empresas.

Para a Conferência da Guiné-Bissau, o Governo da República da Guiné- Bissau conseguiu demonstrar o inquestionável potencial do País – o seu Capital Humano e a diversidade de áreas de negócios existentes para os empreendedores, ou seja oportunidades de negócio para os nossos alunos e antigos alunos..

Desde a primeira hora, a delegação da Guiné-Bissau esteve sempre envolvida na recolha permanente de informação sobre as melhores práticas para a criação de empresas com o intuito de promover o empreendedorismo na Guiné-Bissau.

A apresentação da Guiné-Bissau veio a confirmar as melhores expectativas, os pressupostos do seu desenvolvimento estão alicerçados no Capital Humano. Nesse sentido, ainda no decorrer da “Semana de Negócios em África”, foi assinado um Protocolo de colaboração entre o Grupo Lusófona, o Governo da República da Guiné-Bissau e a Câmara de Comércio, Indústria e Agricultura da Guiné-Bissau com o objectivo de promover o desenvolvimento cultural, social e económico da Guiné-Bissau.

É neste contexto que surge o Projecto Empreendedor na UAC.

Dado que o Projecto Empreendedor é um programa adaptado à realidade de cada país, a implementação do mesmo é simples. As suas linhas de acção são: Identificação e Promoção de Oportunidades; Formação de Empreendedores; Consultoria ao Desenvolvimento de Projectos e Criação de Empresas; Pesquisa de Alternativas ao Financiamento de Empresas; e, Assessoria Técnico-jurídica às Empresas.

Assim, a UAC irá desenvolver as mesmas linhas de acção do Projecto Empreendedor na Universidade Lusófona, em Lisboa, tendo em conta a conjuntura da Guiné-Bissau. O estabelecimento de prioridades entre as oportunidades de negócios, a formação de empresários, o apoio à constituição de projectos, a criação de uma rede de parceiros interessados em financiar as empresas e finalmente na criação do “Centro de Negócios UAC”.

Temos realidades diferentes e temos oportunidades diferentes. Quando olhamos para o actual desenvolvimento da Guiné-Bissau, somos optimistas, estamos perante um cenário de inúmeras oportunidades e bons negócios!

O financiamento dos negócios é uma consequência das condições favoráveis ao desenvolvimento de projectos.

O Projecto Empreendedor, através das suas linhas de acção, procura criar este clima favorável – Empreendedores com Formação adequada – vontade, conhecimentos e responsabilidade social, e apoia boas ideias a transformar-se em projectos viáveis – geradores de riqueza.

Para consolidar ainda mais este ambiente, o Projecto Empreendedor irá abordar e protocolar com parceiros financeiros interessados em financiar projectos com viabilidade “Made in UAC – Guiné-Bissau”. Uma dessas soluções, é por exemplo o Microcrédito, um produto financeiro amplamente divulgado – disponível entre as instituições Bancárias.

Refira-se que Muhammad Yunus, Economista e pai do Microcrédito foi recentemente galardoado com o Nobel da Paz pela criação de um instrumento de financiamento que já expropriou à pobreza, cerca de 3 (três) milhões de pessoas em todo o mundo.

Com o Projecto empreendedor da UAC, a Guiné-Bissau, os nossos alunos e antigos alunos irão criar empresas, emprego e prosperidade num pressuposto “o de capital humano” – talento, engenho, oportunidade e sentido de responsabilidade perante a comunidade.

A Guiné-Bissau merece e terá o nosso total e incondicional apoio.

Um último comentário para a criação do “Centro de Negócios UAC.”

Este, permitirá ao Projecto Empreendedor implementar uma das formulas do sucesso, “a união faz a força”. O “Centro de Negócios UAC”, pretende criar na Guiné-Bissau um espaço de Negócios de referência.

A ideia do negócio, a sua implementação, dinamização e solidificação ficam totalmente dependentes do esforço e do espírito de iniciativa de cada um dos empreendedores que aderirem ao Projecto. Para isso e, porque estamos na Academia, contamos com a colaboração de todas as Autoridades Académicas, da Reitoria, das Direcções dos Departamentos e Cursos, da Associação Académica, de todos os Docentes e diferentes Serviços Administrativos no desenvolvimento e difusão aos alunos da importância da aposta na Construção Do Futuro.

Finalmente, os nossos sinceros agradecimentos a todos aqueles que partilham dos nossos Ideais e Valores e Têm vindo a Construir Futuro connosco!

Ao Senhor Presidente da República da Guiné-Bissau;

Ao Governo da República da Guiné-Bissau na pessoa de Suas Excelências, os Senhores Ministros da Educação e da Economia;

Á Administração da Universidade Amílcar Cabral; e,

Aos nossos Alunos, às suas Famílias, aos nossos Professores e aos nossos Colaboradores!

A todos, o nosso  Muito Obrigado!

Bem Hajam!

 

Partilhar